POEMAS

Toma-me pela mão

Meu Deus,

Toma-me pela mão;

seguir-te-ei decididamente,

sem muita resitencia.

Não me furtarei

a nenhuma das tempestades

que se abaterão sobre mim

nesta vida.

Suportarei o embate

com o melhor de minhas forças.

Mas dá-me, de vez em quando,

uma breve instante de paz.

E não acreditarei,

em minha inocência,

que a paz descer sobre mim

é eterna.

Aceitarei a inquietude

e o combate que se seguirão

Gosto de demorar-me

no calor e na segurança,

mão não me revoltarei

quando tiver que enfrentar o frio,

mas não me revoltarei

quando tiver de enfrentar o frio,

desde que me guies pela mão.

Seguir-te-ei por toda parte

E tentarei não ter medo.

Onde quer que eu esteja,

tentarei irradiar um pouco de amor,

desse verdadeiro amor ao próximo

que há de mim.

Não quero ser nada especial.

Quero tão somente tentar

tornar-me aquele que já esta em mim,

mas ainda busco seu pleno desabrochar.

Categorias:POEMAS

Marcado como:, ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s